APP START UP | 3ª EDIÇÃO

Com 4 palcos e mais de 150 oradores, as 10 equipas de alunos que participaram nas cinco edições do Apps for Good encheram o Palco Tech Talks com o seu Pitch e a área de exposição com o Marketplace das suas soluções tecnológicas.
Para abrir o Momento do Pitch, Filipe Almeida, Presidente da Estrutura de Missão Portugal Inovação Social, recontou a história de como as suas filhas o levaram a compreender o verdadeiro significado de “ajudar quem mais precisa de uma forma criativa”. Se as equipas do Apps for Good não existissem o futuro seria certamente bem diferente, indicou, incentivando-as a não desistir.
Houve também espaço para o debate acerca do que acontece às soluções tecnológicas desenvolvidas pelos alunos depois do Apps for Good com António Silva da Direção-Geral da Educação, Sandra Aparício da GALP, Filipe Almeida da Portugal Inovação Social e Fátima Caçador, editora do SAPO Tek.
No que toca a possibilidades de financiamento, a Portugal Inovação Social cria, de acordo com Filipe Almeida, “condições para que os jovens empreendedores sociais possam experimentar os seus projetos em maior escala” ao colaborar com cerca de 320 investidores de todos os setores. Atualmente, “Portugal é o único país da Europa que tem um programa de empreendedorismo social”, acrescentou o responsável.

Já na área dos investidores, Sandra Aparício da GALP, indicou que a empresa quer não só incutir nos jovens o espírito de empreendedorismo social, mas também aumentar a sua visibilidade para que consigam atrair o investimento necessário à concretização dos seus projetos.

Em Portugal existem “soluções muito boas”, afirma António Silva da Direção-Geral da Educação. Tal como indica, a evolução do Apps for Good deve-se não só ao CDI Portugal, “mas também à intervenção dos professores”, sendo que o programa está já a preparar os jovens para os desafios que encontrarão no mundo do trabalho, ao mesmo tempo que os incentiva a criar um futuro mais sustentável.

 

Sobre as Soluções

Estiveram presentes no segundo dia da Digital Summit propostas concretas para o 4º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável, como por exemplo, a app «Book Routes» para ajudar na interpretação da obra de leitura obrigatória «1936, O Ano da Morte de Ricardo Reis» de José Saramago, querendo já ter uma escala global, ou com a app «Johnny Aprende» que apoia os alunos com mais dificuldades na aprendizagem ou, com a «Coursly» que ajuda no processo de decisão do curso dos futuros universitários, ou, ainda, com a «Smart Study» que permite ao aluno não se desconcentrar no seu estudo com os estímulos do telemóvel.
Na área da saúde, a «SOS Alzheimer» que permite aos cuidadores terem mais informação sobre o Alzheimer, na sua monotorização e acompanhamento do doente e na «onlyHEAL» que constitui um novo canal de comunicação entre os utentes e os farmacêuticos;
No que diz respeito a soluções para o ambiente, a «EcoA» permite conciliar o bem-estar físico com o bem-estar do planeta e a «MustBeGreen» facilita a comunicação entre proprietários de terrenos e as empresas que se dedicam ao serviço de limpeza florestal.
A nível local, com a «Move in Pico» é possível ter acesso a todos os horários de todos os serviços aerobus, sightseeing e rent-a car da ilha do Pico e, a nível global, a «Color You» que vem facilitar o quotidiano de qualquer pessoa que tenha dificuldades na perceção das cores e pretende divulgar o alfabeto das cores desenvolvido pela ColorADD.